Pesquisas - Jonathan Eliã de Almeida Nunes (UNESP/FCLAs)

Iniciação Científica

Os Frankensteins de Penny Dreadful: des-humanidades em construções dialógicas

Jonathan Eliã de Almeida Nunes, 2017

 

 O projeto tem como corpus a minissérie televisiva britânica Penny Dreadful (2014), a qual reconstrói de forma dialógica alguns personagens da obra literária Frankenstein (1818), de Mary Shelley. A minissérie estabelece uma relação dialógica, também, com poetas e literatos da Era Vitoriana ou anterior de forma interdiscursiva e intertextual. Penny Dreadful constrói, desta forma, enunciados que se diferem na forma, abordagem e conteúdo temático. No contexto da minissérie, as ideologias e as características dos personagens se modificam em relação ao original por estarem em um processo de transição cultural. O projeto está focado na análise da representação da complexidade no âmago da existência humana personificada pelos sujeitos Victor Frankenstein, Caliban - mais tarde auto proclamado como John Clare, Proteus e Lily, reproduzida a partir do nascimento destas criaturas. Para isto, serão utilizados os conceitos de sujeito, ideologia, gênero, exotopia, enunciado e estética, presentes nas obras do Círculo de Bakhtin, Medvedev e Volochinov, a fim de entender como o sujeito, introduzido socialmente, é constituído pelas contradições "bem e mal, morte e vida, luz e sombras" não como características dicotômicas, mas coabitantes na essência do ser e esta composição contraditória é observada como elemento que caracteriza a arquitetônica da minissérie e o traço autoral do criador, John Logan.

 

 

Orientadora: Luciane de Paula