Livros do Grupo

Círculo de Bakhtin: concepções em construção (4)

Ao trazer para o quarto e último volume da coletânea Bakhtin-Inclassificável o tema concepções em construção, desejamos dar voz e corpo às pesquisas que se debruçam sobre os escritos do Círculo de Bakhtin a partir de perspectivas que ofereçam uma abertura no pensamento, assim como é aberta a própria obra do círculo.  Entendemos que a dialogia é o eixo central em torno do qual são produzidas todas as concepções filosóficas do que ficou conhecido como Círculo de Bakhtin e isso ocorre também pelo conjunto da obra em que há concepções em construção com a possibilidade de diálogo teórico de diversos campos do conhecimento, demonstrando a potencialidade da produção teórica bakhtiniana. Nesse sentido, ao trazer para o debate concepções em construção na obra do Círculo de Bakhtin, as pesquisas desenvolvidas dialogam com diversas áreas do conhecimento como a Linguística, a Psicanálise, a Filosofia, as Ciências Sociais, a História, a Comunicação, a Música, a Semiótica, a Literatura, dentre outras, considerando a instância de interação dialógica da linguagem e dos discursos em estudo. Desse ponto de vista é que os capítulos aqui reunidos tratam de concepções em construção do Círculo e relações entre essas concepções, entre o Círculo e outros autores, entre áreas do conhecimento, enfim, sempre de maneira dialógica. Esperamos e sugerimos que todos tenham(os) e façam(os), a partir dos textos aqui existentes e, principalmente, da obra do Círculo de Bakhtin, essa mesma constru-ação.

Discursos em Perspectiva - Humanidades Dialógicas

O livro Discursos em perspectiva objetiva prolongar o sabor do saber apresentado pelos convidados do III Simpósio Internacional de Estudos Discursivos (SIED) em suas conferências. Banquete teórico-analítico, a obra se oferece aos leitores como a comida se estende à mesa, à espera de ser degustada e digerida. Composto por “pratos” típicos de diversas culinárias epistemológicas distintas, tenta carnavalizar perspectivas, postas em diálogo, ao paladar reflexivo de quem lê e analisa não apenas com os olhos, a boca e a mente, mas com o corpo inteiro. Comer como antropófagos significa digerir sem engolir verdades, mas ruminar sabores que, ao mesmo tempo, fazem parte do mesmo prato e se distinguem com seus sabores peculiares. Nessa interação que não se amalgama está a riqueza do embate proposto, tanto nas teorias quanto na prática, como ato de prolong-ação de linguagens que constituem sujeitos tanto quanto as humanidades, por meio das linguagens, se constituem. Pintura, mídia, canção, criança, literatura, crise, auto-reflexão são alguns dos sabores que, antes de ter contato com a língua de cada leitor, espalham seu sabor pelo cheiro. Cheiro de linguagem que aguça os olhos e o paladar. Diversos sabores compõem os saberes que, para serem digeridos, pedem mentes, corpos e almas abertos à experimentação, tanto do conhecido e costumeiro quanto do novo, estranho a si. Prontos a experimentar? Ótima digestão porque, como diz Rodrigo S.M, no final de A hora da estrela, “é tempo de morango”.

Semiose Verbivocovosual

A obra reúne quinze (15) textos, tanto de membros do GED quanto de pesquisadores colaboradores, parceiros considerados por nós participantes ativos do Grupo. Textos, portanto, que representam algumas das muitas vozes heterogêneas que caracterizam o GED. Textos vivos, de sujeitos ativos que revelam reflexões teórico-analíticas voltadas ao verbovocovisual filosoficamente. Textos que tecem quem somos no tempo-espaço vivido. Textos-Matrix, simulação de e em linguagem codificada, decodificada e sobrecodificada.

Vozes Discursivas

A obra reúne treze (13) textos, tanto de membros do GED quanto de colaboradores, com os quais flertamos e, por esse motivo, também consideramos participantes ativos do Grupo. Daí, inclusive, a escolha da editora, parceira, ligada a grupos e a amigos tão queridos. Afinal, entendemos que um Grupo de Estudos se componha por mais do que atos de pesquisas acadêmicas, pois é constituído de vida e energia de pessoas que são mais que suas pesquisas, ou melhor, por meio de cada pesquisa, os sujeitos se encontram, re-velam, atuam, ativamente, constituindo-se de maneira mútua, em embate vivo, na academia, na vida e na arte. Os textos que compõem esta obra, na verdade, refletem e refratam algumas das vozes que caracterizam, de diversas maneiras, a(s) voz(es) do GED. Textos vivos que trazem em seu escopo reflexões teórico-analíticas, questões filosóficas, literárias e educacionais, de diversos pesquisadores, mais, de diversas pessoas que, com sua pena, fizeram e fazem valer a pena a leitura como “ato de levantar a cabeça” (Barthes).

Please reload

A linguagem da criança - Um olhar bakhtiniano

A Aquisição da Linguagem pode ser abordada por diferentes óticas. Neste livro, os autores reunidos demonstram, sob vários ângulos, como o olhar bakhtiniano pode auxiliar no entendimento sobre o processo de aquisição da fala das crianças. 
Interação, diálogo, dialógico, gênero, alteridade são noções fundamentais nesta obra, cujo foco é o misterioso universo da linguagem da criança. Esse mistério tem ainda muito a ser desvendado, entretanto as reflexões aqui empreendidas trazem algumas respostas – não apenas aos estudiosos da área, mas também a todas as pessoas que se interessam pela linguagem: educadores, psicólogos, fonoaudiólogos e, claro, os pais.

Explorando o Discurso da Criança

Este livro apresenta outro olhar para os estudos em aquisição da linguagem da criança: a partir dos trabalhos de Bakhtin e do Círculo, os autores discutem diversas questões sobre o tema. 
O foco é na linguagem da criança sob o viés dos estudos bakhtinianos. São apresentadas diversas situações de interação verbal entre crianças e adultos e entre crianças, em que se observam, por um lado, a concordância nominal, o uso do porquê e dos pronomes e, por outro lado, as atividades como o jogo, a escrita, a argumentação, a brincadeira e a narrativa. 
Ao longo da leitura, a obra expõe compreensões sobre a aprendizagem/aquisição de língua estrangeira e bilinguismo, explora a aquisição e o pensamento dialógico através de estudos sobre o discurso humorístico e irônico na linguagem infantil, investiga condutas explicativas e argumentativas produzidas na fala de crianças e, a partir das concepções de linguagem desenvolvidas nos escritos do Círculo de Bakhtin, coloca em foco a produção escrita infantil em contexto escolar.
 

Da Análise do Discurso no Brasil à Análise do Discurso do Brasil: três épocas Histórico-Analíticas

Esta coletânea traz reflexões sobre a produção teórica da Análise do Discurso no Brasil, o que implica, hoje, na constituição de uma Análise do Discurso do Brasil. Por isso, trabalha com a revisão bibliográfica existente na área, a fim de repensar o quadro da AD de origem francesa produzida no país, ensinada e pesquisada, principalmente, por instituições universitárias brasileiras, a fim de compreender o quadro teórico da AD por meio de sua produção. O livro trata desse arcabouço teórico-analítico construído ao longo da história, no caso específico do Brasil.

Please reload

Círculo de Bakhtin: Teoria Inclassificável (1)

Organizada e coordenada por Luciane de Paula e Grenissa Stafuzza a Série Bakhtin – Inclassificável é uma coleção aberta, como a obra de Bakhtin. Trata-se de uma série constituída por diversos pensadores, do Brasil e do mundo. Seus estudos versam sobre a filosofia da linguagem do Círculo de Bakhtin. A finalidade maior é refletir, de maneira coletiva, sobre alguns pontos essenciais dos estudos bakhtinianos, tais como sujeito, cronotopia, dialogismo, gêneros, exotopia, translinguística, plurilinguismo, ideologia, entre outros. Por isso, seus livros e capítulos dialogam, numa relação que forma, trans-forma, re-forma, des-en-forma a cultura e a sociedade por meio de nossos nós.

Círculo de Bakhtin: Diálogos (In)Possíveis (2)

Da possibilidade de dialogar com a Linguística, com a Filosofia, com a Teoria da Literatura, com a Crítica Literária, com a Pragmática, com a Semiótica etc. à (im)possibilidade de demarcar fronteiras bem situadas entre tais áreas de estudo, deparamo-nos com o devir de pensadores que escapam ao seu próprio tempo e espaço. Para nós, falar de Bakhtin e seu círculo é trazer à tona a Rússia do final dos anos 20 aos anos 70 do século XX, atravessada por suas próprias contradições sociais, por Dostoievski e Rabelais de duas Franças díspares e complementares, pelos olhares múltiplos de pesquisadores e críticos desses nossos tempos-espaços, que também não nos pertencem. Da recepção do Círculo na Europa, na América Latina e, especificamente, no Brasil e de seus estudos na contemporaneidade de maneira dialógica, desejamos que essa experiência de leitura seja uma viagem dialógica a todos, enfim, sugerimos que todos tenham(os) e façam(os), a partir dos aqui existentes e, principalmente, da obra do Círculo de Bakhtin, diálogos in possíveis!

Círculo de Bakhtin: Pensamento Interacional - Volume 3

A dialogia é o eixo central em torno do qual giram todas as concepções filosóficas do que ficou conhecido como Círculo de Bakhtin.
Isso ocorre pelo pensamento interacional de produção e recepção de suas obras. Esse pensamento é interação entre pensamentos de epistemes diversas, numa ação concreta de diálogo. Desse ponto de vista é que os capítulos aqui reunidos tratam de concepções do Círculo e relações entre essas concepções, entre o Círculo e outros autores, entre áreas do conhecimento, enfim, como ocorre com o e no pensamento, de maneira interacional.
Esperamos e sugerimos que todos tenham(os) e façam(os), a partir dos textos aqui existentes e, principalmente, da obra do Círculo de Bakhtin, essa mesma inter-ação.

Please reload