Pesquisas Concluídas

Alexis Albuquerque Matarazzo

Interações Humanas na Era Tecnológica: a construção do conhecimento em rede

Este projeto é parte integrante da pesquisa de Paula (2014), intitulado Análise Dialógica de Discursos verbo-voco-visuais. Deste modo, o projeto visa a construção e manutenção do site do Grupo de Estudos Discursivos (GED), local de hospedagem das pesquisas, das interações entre o GED e outros grupos com os quais se relaciona, bem como um arquivo da história e da memória do mesmo. Além disso, pretende ainda manter o blog já existente, relacionando-o ao site criado e às páginas do grupo nas redes sociais, a fim de divulgar as pesquisas desenvolvidas por seus membros e dar visibilidade ao GED, a esta pesquisa e à UNESP – Assis. Por fim, pretende também criar um laboratório de pesquisa linguística voltada aos estudos discursivos na Faculdade de Ciências e Letras de Assis, a fim de construir um espaço específico de reuniões e desenvolvimento sólido de pesquisas, com infraestrutura técnica e tecnológica capaz de amparar as pesquisas em desenvolvimento, a fim de estimular o convívio e a interação entre pesquisadores e seus estudos.

 

Pesquisa apoiada pelo CNPq. Número do processo: 120875/2014-4

Alexis.jpg
Alexis.jpg

press to zoom
Alexis - projeto pibiti.png
Alexis - projeto pibiti.png

press to zoom
Alexis.jpg
Alexis.jpg

press to zoom
1/2

Aline do Prado Aleixo Soares

A leveza e o peso, a alma e o corpo, a força e a fraqueza:relações de diálogo na compreensão de A insustentável leveza do ser

O projeto aqui proposto pretende analisar o romance A insustentável leveza do ser, de Milan Kundera, a partir das palavras-tema que orientam seu enredo, a fim de compreender a insustentável leveza do ser a que as personagens, representação de sujeitos reais, são submetidas, tomando o romance em seu caráter textual e discursivo. Com isso, será possível refletir acerca do gênero romanesco e sua arquitetônica. Para tanto, ter-se-á como perspectiva teórica o pensamento do Círculo de Bakhtin e suas reflexões sobre gênero, diálogo e sujeito.

 

Pesquisa financiada pela Fapesp - Processo número 2013/01235-1

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/2

Ana Paula Lopes Cardoso

Natura Chronos e Avon Renew: a conquista do telespectador por meio de discursos opostos

Este projeto propôs analisar, comparativamente, os discursos publicitários das marcas Avon e Natura em suas linhas equivalentes, Renew e Chronos, respectivamente. Pretendeu, ainda, compreender quais os diferentes artifícios discursivos utilizados nas campanhas das marcas. Os objetivos foram os de descrever como as publicidades são produzidas para tentar obter sucesso em sua empreitada de venda e refletir sobre o discurso “responsável” da Natura e o discurso da “beleza da juventude e da fama” da Avon, presentes nos comerciais televisivos que compõem o corpus deste projeto. A pesquisa proposta se fundamentou nos estudos do Círculo de Bakhtin, em especial nos conceitos de sujeito, diálogo, discurso, enunciado e signo ideológico para analisar o corpus em sua unidade (considerando seus elementos verbais e não-verbais).

 

Pesquisa apoiada pela FAPESP, processo número 2013/01305-0

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/3

Bruna de Souza Silva

A arquitetônica dialógica de Marisa Monte: uma análise discursiva do estilo interautoral composicional de suas canções (2013/2014)

Esta pesquisa foi parte integrante do projeto de pesquisa de Paula (2010), designado A intergenericidade da canção. Este estudo se dedicou prioritariamente à reflexão sobre o conceito de intergenericidade – composta neste caso, por letra e melodia – como construção poética interautoral, por meio do tratamento da construção arquitetônica da cantora-compositora Marisa Monte, analisada de maneira específica em relação ao diálogo constante com os cantores-compositores Arnaldo Antunes e Carlinhos Brown.

RELATÓRIO 2013/2014
6a00e008d91f9d88340120a6c8503a970b-800wi
6a00e008d91f9d88340120a6c8503a970b-800wi

press to zoom
Carolina.png
Carolina.png

press to zoom
6a00e008d91f9d88340120a6c8503a970b-800wi
6a00e008d91f9d88340120a6c8503a970b-800wi

press to zoom
1/2

Carolina Gomes Sant'ana

A ambivalência humana refletida e refratada em Tim burton: o estranho Jack

Este projeto analisou o sujeito Jack no enunciado fílmico “O estranho mundo de Jack” (1993) ao que tange, principalmente, à noção do que é ser um heroi-vilão. Para tanto, pensamos em como essa noção se dá não só no enunciado elencado como corpus, mas em outras produções dos estúdios Walt Disney, uma vez que observamos, a partir deles, uma imagem canônica construída acerca do ser vilão (características físicas, ações, trilha sonora etc.). Concebendo o sujeito tal qual o Círculo o faz, como sendo constituído por meio da alteridade, compreendemos Jack como um sujeito composto pelos outros habitantes da Cidade do Halloween, uma vez que são eles uma parte fundamental de seu plano de transportar o Natal para o Halloween. E é a partir dessas relações sociais, mediadas, nesse enunciado, por meio da linguagem em suas mais variadas dimensões (sonora/vocal, verbal e visual), que podemos depreender essa imagem ambivalente de Jack: como sujeito heroi-vilão, que revela outro lado de si quando seus interesses pessoais estão em questão, de modo a colocarmos em xeque a ambivalência humana presente nessa constituição de personagem, uma vez que são eles o reflexo e refração, dentro da arte, da vida.

PROJETO
RELATÓRIO

press to zoom
Pesquisa
Pesquisa

press to zoom

press to zoom
1/2

Danyllo Ferreira Leite Basso

Diálogos entre os Admiráveis chip e mundo novos de Pitty e Huxley: da canção ao romance e do romance à canção

Este projeto analisou as obras Admirável Mundo Novo, romance de Huxley, e Admirável Chip Novo, disco de Pitty. Os objetivos centraram-se em investigar os gêneros discursivos – suas peculiaridades e diálogos; bem como em refletir sobre o signo ideológico, uma vez que os gêneros refletem e refratam valores sociais, no caso, em tempos e espaços distintos, que se assemelham no que tange à robotização dos sujeitos. A importância da pesquisa proposta centra-se, de maneira indireta, na reflexão sobre valores sociais, mediada pelos discursos eleitos como objeto do estudo. A fundamentação teórica desta pesquisa centrar-se nos estudos filosóficos do Círculo de Bakhtin, especificamente nas concepções de discurso, diálogo, signo ideológico, sujeito, cronótopo, ética e estética, gênero e esferas de atividade, responsabilidade e responsividade.

Capa_Blog_GED_2015_-_Débora_Mariano_(1).
Capa_Blog_GED_2015_-_Débora_Mariano_(1).

press to zoom
Capa_Blog_GED_2015_-_Débora_Mariano_(1).
Capa_Blog_GED_2015_-_Débora_Mariano_(1).

press to zoom
1/1

Débora Mariano de Godoy Preto

Corpos que se espelham - entre Ana's, Mia's e Vik's, a gordofobia

 

O projeto teve por finalidade analisar os discursos conhecidos como Pró Ana (pró anorexia) e Pró Mia (pró bulimia) na internet, tendo como base as análises dialógicas das vozes dos sujeitos que neles se constituem. A fundamentação teórica é bakhtiniana e se centra, de maneira mais enfática, nas concepções de sujeito, signo ideológico, diálogo e enunciado. O objeto principal a ser pesquisado é composto por blogs encontrados em meios digitais, a partir da temática da beleza humana e dessas doenças encaradas por pelos sujeitos que se manifestam nos blogs como estilo de vida a ser seguido, bem como analisar o diálogo entre um blog e outro, tendo como foco a temática "beleza e (não) saúde". A hipótese que motiva o projeto é a de que os enunciados desses blogs se caracterizem como discurso de autoajuda. A importância de um projeto voltado a essa temática se centra às questões sociais, flagradas por meio de determinados discursos ("Pró-Ana" e "Pró Mia"). Assim, o teor do projeto proposto se volta à reflexão acerca da relação homem-mundo, sempre materializada na linguagem que, por meio de enunciados, explicitam valores de toda uma geração. Valores modelares que idealizam imagens de beleza e de mulher, reproduzidos por elas, contra si mesmas, em nome de uma aparente "felicidade" anêmica. 

 

RELATÓRIO FINAL

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/2

Giovanna Maíra Scoparo

Diálogos entre gêneros discursivos: princípios de análises intergenéricas

Seguindo a pesquisa principal de Paula (2010), este trabalho se dedica à reflexão sobre o conceito de intergenericidade como construção poética autoral, a fim de fortalecer, por meio do tratamento da poética de Chico Buarque, analisada de maneira específica por meio de sua obra Gota d’água (peça teatral escrita em versos, onde se encontram as canções “Flor da idade”, “Bem querer”, “Basta um dia” e, a principal e título homônimo ao da obra, “Gota d’água”; bem como seu intrínseco diálogo com a Medéia, de Eurípedes), vista como exemplo de uma maneira típica de construção autoral (a intergenericidade, a interdiscursividade e a intertextualidade como parte da arquitetônica poética de Chico Buarque), a (re) constituição das amarras entre as noções de diálogo, gênero, poética e autoria. Trata-se de analisar a operacionalidade e produtividade das concepções analisadas (pedidas pelo corpus pesquisado) como um conjunto de noções que compõe procedimentos de análise.

WhatsApp Image 2018-03-06 at 20.18.23.jp
WhatsApp Image 2018-03-06 at 20.18.23.jp

press to zoom
Hadassa.png
Hadassa.png

press to zoom
WhatsApp Image 2018-03-06 at 20.18.23.jp
WhatsApp Image 2018-03-06 at 20.18.23.jp

press to zoom
1/2

Hadassa Luiza Malaquias Rodrigues

Beyoncé como reflexo e refração de vozes sobre mulheres: uma análise dialógica sobre o empoderamento da mulher negra no álbum visual Lemonade (2016) 

O álbum visual Lemonade (2006), interpretado pela cantora Beyoncé mantém relações interdiscursivas/intertextuais para os dias atuais. Este projeto se propõe analisar a construção do sujeito Beyoncé em sua interação com outros sujeitos. Pretende-se compreender a relação arte e vida a partir do corpus proposto, por meio de uma análise verbivocovisual. A proposta é pensar como as valorações ideológicas presente no discurso (cinematográfico), refletem e refratam padrões sociais presentes na vida. Para fundamentar nosso estudo, utilizaremos os conceitos de sujeito, signo ideológico e enunciado, conforme são discutidos pelo círculo Bakhtin, Medvedev, Volochinov.

PROJETO
RELATÓRIO FINAL

Jéssica de Castro Gonçalves

FUNDO_-_JÉSSICA_DE_CASTRO.png
FUNDO_-_JÉSSICA_DE_CASTRO.png

press to zoom
Jéssica.png
Jéssica.png

press to zoom
FUNDO_-_JÉSSICA_DE_CASTRO.png
FUNDO_-_JÉSSICA_DE_CASTRO.png

press to zoom
1/2

A recorrência de recriações de enredos literários em outros gêneros discursivos (filmes, minisséries histórias em quadrinhos, entre outros) suscita diferentes críticas favoráveis e desfavoráveis a esses tipos de produção. Denominadas de adaptações, essas obras são frequentemente julgadas como leituras melhores ou piores pela fidelidade de seus enredos aos do texto literário fonte, principalmente quando presentes no contexto escolar. Frente a esse embate, este trabalho tem como objetivo defender que essas recriações em outros gêneros discursivos são mais que simples adaptações, mas novas obras que mantém uma relativa (in)dependência com o texto literário e ressignificam-no nos novos gêneros. Além disso, problematiza-se o conceito de gênero discursivo e discute-se a importância da leitura desse tipo de produção no ensino de Língua Portuguesa. Para isso, apresentamos um protótipo embrionário com proposições sobre possibilidade do uso da recriação no ensino de gênero discursivo. Como corpus delimitado desse estudo, propomos pensar a ressignificação de Capitu do romance Dom Casmurro de Machado de Assis e na minissérie Capitu do diretor Luiz Fernando de Carvalho e na história em quadrinho Dom Casmurro de Felipe Grecco e Mario Cau. Por se analisar a recriação do enredo romanesco em outros gêneros discursivos, este estudo fundamenta-se nas discussões desenvolvidas pelo Círculo de Bakhtin/Medvedev/Volochinov sobre gênero, enunciado, linguagem e diálogo. Metodologicamente, propõe-se a análise do corpus a partir do método dialético-dialógico (Paula et al, 2011). Ao pensar, sob a perspectiva bakhtiniana, a constituição do gênero discursivo, a partir da relação indissolúvel entre forma composicional, conteúdo temático e estilo, observou-se, até o presente momento, que a recriação do enredo romanesco em outras formas composicionais, a partir de outros estilos autorais, gera a ressignificação do conteúdo temático (enredo) novas Capitu’s. Desta forma, a minissérie e a história em quadrinhos constituem-se em novas obras ao se materializarem nesses novos gêneros, sem deixar de manter relações dialógicas com o romance. O protótipo embrionário apresentado propõe formas de trabalhar algumas figuras de linguagem por meio das recriações do romance Dom Casmurro nas aulas de Língua Portuguesa. Acredita-se que com essa discussão contribuir com os estudos contemporâneos sobre gênero discursivo.

 

DOM CASMURRO EM DIFERENTES MATERIALIDADES: uma análise verbivocovisual do romance, da HQ e da minissérie

12366361_840792609352957_583513774518535
12366361_840792609352957_583513774518535

press to zoom
Imagem1.png
Imagem1.png

press to zoom
12366361_840792609352957_583513774518535
12366361_840792609352957_583513774518535

press to zoom
1/2

Jonathan Eliã de Almeida Nunes

Os Frankensteins de Penny Dreadful: des-humanidades em construções dialógicas

 O projeto tevecomo corpus a minissérie televisiva britânica Penny Dreadful (2014), a qual reconstrói de forma dialógica alguns personagens da obra literária Frankenstein (1818), de Mary Shelley. A minissérie estabelece uma relação dialógica, também, com poetas e literatos da Era Vitoriana ou anterior de forma interdiscursiva e intertextual. Penny Dreadful constrói, desta forma, enunciados que se diferem na forma, abordagem e conteúdo temático. No contexto da minissérie, as ideologias e as características dos personagens se modificam em relação ao original por estarem em um processo de transição cultural. O projeto está focado na análise da representação da complexidade no âmago da existência humana personificada pelos sujeitos Victor Frankenstein, Caliban - mais tarde auto proclamado como John Clare, Proteus e Lily, reproduzida a partir do nascimento destas criaturas. Para isto, serão utilizados os conceitos de sujeito, ideologia, gênero, exotopia, enunciado e estética, presentes nas obras do Círculo de Bakhtin, Medvedev e Volochinov, a fim de entender como o sujeito, introduzido socialmente, é constituído pelas contradições "bem e mal, morte e vida, luz e sombras" não como características dicotômicas, mas coabitantes na essência do ser e esta composição contraditória é observada como elemento que caracteriza a arquitetônica da minissérie e o traço autoral do criador, John Logan.

RELATÓRIO FINAL
Radamés.jpg
Radamés.jpg

press to zoom
1309a5_979e0732f4924ec99544eb93cd63d415.png
1309a5_979e0732f4924ec99544eb93cd63d415.png

press to zoom
Radamés.jpg
Radamés.jpg

press to zoom
1/2

José Radamés Benevides de Melo

Vozes sociais em construção: dialogismo, bivocalidade polêmica e autoria no diálogo entre Diário do hospício, O cemitério dos vivos, de Lima Barreto, outros enunciados e outras vozes sociais

Estudo da constituição das vozes discursivas/sociais sobre a loucura e a psiquiatria no diálogo entre Diário do hospício e O cemitério dos vivos, textos escritos por Lima Barreto e relacionados à sua segunda internação no Hospício Nacional de Alienados, no Rio de Janeiro, entre 25 de dezembro de 1919 e 2 de fevereiro de 1920. O primeiro é tido como anotações para a elaboração do segundo, um romance inacabado, cujo processo de produção foi interrompido pela morte do autor, que ocorreu em primeiro de novembro de 1922. O objetivo desta pesquisa é analisar a constituição de vozes discursivas/sociais sobre a loucura e a psiquiatria por meio das relações dialógicas, da bivocalidade polêmica e do autor-criador no diálogo entre Diário do hospício e O cemitério dos vivos, de Lima Barreto. Fundamentado nos pressupostos teórico-metodológicos propostos e desenvolvidos pelo Círculo de Bakhtin, Medvedev e Voloshinov e nos desdobramentos teórico-metodológicos que a eles se coadunam a partir das pesquisas empreendidas por diversos estudiosos e que resultaram, aqui no Brasil, no que ficou conhecido como análise dialógica do discurso, esse estudo se justifica por objetivar colaborar para a compreensão de aspectos do funcionamento da arquitetônia do texto/discurso literário; da voz daqueles que foram silenciados na sociedade e na literatura; de sua constituição dialógica; das polêmicas que se instauram nas/pelas obras aqui envolvidas e sua contribuição para o debate histórico, social e acadêmico relacionado aos processos de compreensão do tratamento do louco no Brasil, na República Velha; e do funcionamento do campo literário em relação com o campo científico.

aprender.jpg
aprender.jpg

press to zoom
oie_transparent (1).png
oie_transparent (1).png

press to zoom
aprender.jpg
aprender.jpg

press to zoom
1/2

Juliana Ruiz Buchi Marcondes

Letras tecnológicas: redes dialógicas

Como parte integrante do projeto denominado Análise Dialógica de Discursos verbo-voco-visuais, desenvolvido por Paula, este trabalho tem como proposta refletir sobre as possíveis relações entre a filosofia bakhtiniana e o estudo dos enunciados digitais, bem como pensar no desenvolvimento de espaços físico e técnico-tecnológicos que permitam discussões e reflexões do GED – Grupo de Estudos Discursivos. Para tanto, faz-se necessário pensar na reconstrução e reformulação do site do Grupo, no suporte e manutenção dos espaços do GED nas redes sociais (Facebok, Youtube, Blog, etc.) e outras ações que permitam o desenvolvimento e a visibilidade na área dos Estudos da Linguagem, como a criação de um núcleo de estudos linguísticos com um laboratório discursivo provido do material e equipamentos necessários, e a elaboração e editoração da Revista Dis-Cursiva.

capa.png
capa.png

press to zoom
oie_transparent (3).png
oie_transparent (3).png

press to zoom
capa.png
capa.png

press to zoom
1/2

Lidiane Viana

Slam na escola: escrita, oralidade e resistência

 

Existe dentro da escola uma relação dialética que gera um embate de vozes e que resulta em um consequente processo de apagamento da voz do aluno, que é engolida pela voz sistêmica e dominante, reproduzida pelo professor em sala de aula. Fundamentado nos estudos bakhtinianos, este projeto teve por objetivo observar como se dá este confronto de vozes dentro da escola e analisar como os jovens estudantes colocam-se frente a uma situação escolar em que são convidados a expressarem sua voz, por meio de situações reais de criação, circulação e apreciação estética de enunciados, por meio da criação de textos poético-literários autorais, desenvolvidos para/no slam (batalha de poesia). 

DISSERTAÇÃO
Marcela.jpg
Marcela.jpg

press to zoom
MARCELA PAGLIONE
MARCELA PAGLIONE

press to zoom
Marcela.jpg
Marcela.jpg

press to zoom
1/2

Fenômeno Sherlock: a recepção social do gênero seriado

Marcela Barchi Paglione

A presente pesquisa centra-se no gênero discursivo seriado, com fundamentação teórica calcada na filosofia da linguagem do Círculo B.M.V. (Vauthier, 2010), a fim de refletir sobre a construção arquitetônica desse gênero, o que engloba sua produção e circulação social na esfera de atividade midiática, além de sua recepção autoral pelos fãs. Para tal, tem-se como objeto as respostas dos fãs do seriado Sherlock (2010) criadas a partir do gatilho da falsa morte do detetive durante o hiato entre a segunda e a terceira temporadas. O cerne da pesquisa encontra-se nas formas de recepção do gênero, principalmente a narrativa transmídia (JENKINS, 2006) como concretização da escuta-ativa dos fãs em relação ao episódio-enunciado, pois esses transcendem as barreiras do seriado televisivo em diferentes gêneros, como blogs, fanfics e fanarts ao ponto de tornarem-no um fenômeno na Rede. Tem-se como objetivo geral analisar a arquitetônica do gênero seriado, seu funcionamento em sociedade enquanto fenômeno cultural transmidiático. Para tal, será analisada a recepção dos fãs como produção autoral por meio de seu estilo, bem como a inserção de Sherlock e do seriado em meio ao grande tempo da cultura, como concretização do chamado cronotopo etéreo. Sendo assim, analisar-se-á os enunciados dos fãs enquanto produção respondente ao seriado Sherlock, ativa compreensão responsiva em sociedade, a qual (re)significa os enunciados do gênero nas interações midiáticas. Espera-se que esse trabalho possa contribuir para os estudos de gênero discursivo e do seriado, tomados em uma perspectiva histórica, cultural e cronotópica, além de permitir a reflexão sobre a produção dos fãs como forma de autoria.

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/3

Natália Costa Custódio

Coca-Cola Para Todos: A Reconstrução de Uma Imagem Discursiva

Este projeto pretende analisar o discurso da peça publicitária televisiva “Coca-Cola para todos”, com vistas a compreender como é construída a imagem da marca como empresa aparentemente responsável e ética, preocupada com a heterogeneidade e união entre pessoas e sociedades diferentes enquanto, na verdade, preocupa-se apenas com a venda e o consumo de seus produtos, que homogeneízam as diferenças entre os sujeitos e as comunidades simulados no enunciado concreto de várias de suas campanhas publicitárias. O método a ser utilizado é o da filosofia da linguagem do Círculo de Bakhtin. Trabalhar-se-á, em especial, com as concepções de diálogo, gênero (composição, forma e estilo), arquitetônica, voz, valor, reflexo e refração, responsabilidade, responsividade, ética e estética. A importância da proposta de estudo do gênero discursivo publicitário televisivo é a de tentativa de compreensão da produção e veiculação de valores sociais por meio da linguagem, vista como simulacro da “realidade” e dos valores que interpelam os sujeitos a consumir, via convencimento e persuasão.

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/2

Nátalie Ferreira Carvalho Silva

O Ritmo e a Poesia do Hip Hop brasileiro

Esta pesquisa propõe realizar uma leitura do gênero cancioneiro rap, que vincula o Hip Hop brasileiro contemporâneo e no qual participa como mediador das propostas e críticas que o movimento engloba. Visto como discurso poético-social, o rap, tal como o próprio nome sugere (Rhythm and Poetry – Ritmo e Poesia), caracteriza-se como uma das mais significativas expressões artísticas da contemporaneidade, o que se assegura por seu caráter resistente e revolucionário. Por meio da “palavra cantada”, o rap delata a marginalização das zonas periféricas e traz, de forma representativa (semiose), os dilemas vividos por esses sujeitos, socialmente excluídos, ao retratar, por meio de suas temáticas familiares e dos registros linguísticos do universo cantado (simulação da oralidade prosaica com características rítmicas que se aproximam da poesia oral típica desse estilo musical), os problemas que percorrem as comunidades brasileiras das quais se originam, cantam e participam, em uma atitude responsiva e responsável de denúncia social.

Nicole foto site GED.JPG
Nicole foto site GED.JPG

press to zoom
NICOLE MIONI SERNI - PESQUISA.png
NICOLE MIONI SERNI - PESQUISA.png

press to zoom
Nicole foto site GED.JPG
Nicole foto site GED.JPG

press to zoom
1/2

Nicole Mioni Serni

Canções cinematográficas: análise dialógica do filme musical Les Misérables

Esta pesquisa se propôs a analisar o filme musical Les Misérables (2012), de Tom Hooper, sob a ótica dos estudos do Círculo Bakhtin, Medviédev, Volochinov, tendo como objetivo refletir, por meio de uma análise dialógica, acerca da constituição da arquitetônica do filme musical como gênero discursivo, em sua forma, conteúdo, estilo, produção e circulação, conforme as ideias do Círculo. A partir de Les Misérables este trabalho buscou investigar a especificidade do gênero filme musical assim como analisar os diálogos entre o filme escolhido e outras obras musicais produzidas no cinema norteamericano. A canção, aqui também considerada como um gênero, é elemento constitutivo do filme escolhido e sua presença é de extrema importância na formação do musical, configurando-o como intergenérico. O filme musical norte-americano é marcado por elementos de canto e dança que se consolidam especialmente na era de ouro (anos 50 e 60). Les Miserables apresenta características diferentes de outros filmes musicais, como, por exemplo, a temática (a partir da obra de Victor Hugo), a fala cantada constante (e não apenas canto em momentos performáticos), e a ausência de dança (ainda que as movimentações sejam ritmadas). Estas especificidades do gênero discursivo filme musical foram discutidas ao longo desta pesquisa a partir da trajetória do filme musical, sendo possível, deste modo, analisar como a obra cinematográfica em questão dialoga com outras produções, de diferentes períodos; assim como as relações estabelecidas entre o filme e o teatro musical da Broadway.

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/2

Patrick Paiva de Oliveira

Cantando Causos: Uma Percepção Bakhtiniana das Canções de Waldemar Henrique

A Canção de Câmara Brasileira tem sido objeto bastante estudado entre pesquisadores e cantores no Brasil e em âmbito internacional. Embora seja um gênero ainda não muito difundido, o gênero engloba canções que são, em sua maioria, “obras escritas numa notação musical e geralmente baseadas em um poema ou em um texto popular ou folclórico já existente” (CASTRO apud BORÉM, 2007). Waldemar Henrique (1905 – 1995) foi um dos grandes representantes do gênero.  Suas canções são permeadas por manifestações regionais (nortista). Este projeto se propõe a analisar sete canções para canto e piano de Waldemar Henrique como representação de parte da cultura cancioneira brasileira. A abordagem epistemológica desta pesquisa fundamenta-se nas concepções do Círculo de Bakhtin. Pretende-se, com o desenvolvimento deste projeto, contribuir com os estudos discursivos do gênero canção popular.

press to zoom

press to zoom
1/1

Rafael Marcurio da Cól

Antropofagia Musical Brasileira: O estilo de ser Mutante

A banda precursora do rock nacional Os Mutantes é uma das principais referências no mundo da música brasileira dos anos 60 e 70, por isso objeto de estudo deste projeto, que se propõe a analisar a constituição discursiva de seu estilo como parte da identidade brasileira. A fundamentação teórica em que se baseia esta pesquisa é a filosofia da linguagem do Círculo de Bakhtin, especificamente calcada na concepção de gênero discursivo (composto por forma, conteúdo e estilo), a fim de compreender a arquitetônica da banda e esta é a importância desta pesquisa. A hipótese defendida é a de que o estilo d’Os Mutantes é antropofágico, dada a maneira coletiva de composição de sua obra. Além do experimentalismo e do psicodelismo, a banda traz consigo duas presenças marcantes que influenciam a constituição de seu estilo, tanto musical quanto composicional: o rock de The Beatles e a antropofagia carnavalesca da Tropicália. Espera-se, no final deste estudo, compreender como ocorre a construção arquitetônica da obra d’Os Mutantes como exemplar precursor do rock nacional e de um tipo pertencente ao gênero canção brasileira: o estilo Mutante de ser.

 

Pesquisa apoiada pela Fapesp

Schneider Pereira Caixeta

“Agora eu fiquei doce”: o discurso da autoestima no Sertanejo Universitário

Este projeto visa analisar o discurso das letras de canções do Sertanejo Universitário no que tange à temática da autoestima masculina e feminina como constituição e expressão de identidades sertanejas contemporâneas. Enquanto no Sertanejo de Raiz as letras abordam temas como os prazeres e as dificuldades da vida no campo, no Sertanejo Pop, os temas centrais são o amor não correspondido e a traição. Já os “universitários do sertão” cantam sobre prosperidade, baladas e poligamia, com um evidente enaltecimento à autoestima. Tendo consciência de que nas letras de canções encontramos “concepções de enorme importância para os ouvintes como meio de transmissão de novos ou tradicionais valores em curso” (MEDINA, 1973, p. 22 apud ROCHA; FERNANDES, 2009, p. 1224), é possível afirmar que, ao analisar as canções, podemos entrar em contato com os valores sociais vigentes. Tendo a Análise Dialógica do Discurso como embasamento teórico, teremos condições de adentrar o universo do discurso e entendermos o enunciado, o signo ideológico, a cultura e o(s) sujeito(s) expressos nas letras das canções que constituem o nosso corpus de pesquisa.

 

Pesquisa de mestrado financiada pelo CNPq.

Schneider.png
Schneider.png

press to zoom
Foto de capa da pesquisa.jpg
Foto de capa da pesquisa.jpg

press to zoom
Schneider.png
Schneider.png

press to zoom
1/2